«Na minha infância, antes de saber ler, ouvi recitar e aprendi de cor um antigo poema tradicional português, chamado NAU Catrineta[...] . Eu era de facto tão nova que nem sabia que os poemas eram escritos por pessoas, mas julgava que eram consubstanciais ao universo, que eram a respiração das coisas, o nome deste mundo dito por ele próprio.»

in Arte Poética V (Sophia de Mello Breyner)

Destaques

Livros, computadores, tablets, calculadoras e algumas salas com equipamentos especialmente adaptados à atividade pedagógica.



© 2021 Biblioteca do AESATodos os direitos reservados.
Desenvolvido por Webnode
Crie o seu site grátis!